AS CRIAÇÕES HIBRIDAS DE CRISTOPHER GEGEMBAUER 

AS CRIAÇÕES HIBRIDAS DE CRISTOPHER GEGEMBAUER 

A definição de Rizoma, emprestada da botânica, se refere a estrutura de algumas plantas cujos brotos podem ramificar-se em qualquer ponto, assim como engrossar e transformar-se em novas vegetações, essa estrutura pode funcionar como raiz, talo ou ramo e conecta um conjunto de exemplares por sua base.

Não é à toa que trago essa palavra para ajudar a descrever o trabalho do artista Cristopher Gegembauer, organicidade e hibridismo, são outras definições complementares que compreendem as características pictóricas de sua poética.

Retratando seres assimétricos que unem elementos humanos a formas botânicas e parecem ligados uns aos outros, como uma rede de rizomas, as telas e painéis se complementam e fazem parte de uma mesma obra, por mais que os suportes sejam distintos.

Fauna e flora se misturam de maneira harmoniosa nas suas composições, o fundo é quase sempre chapado, com uma cor única, tons de verde e azul são uma constante, assim como linhas finas que parecem raízes aéreas e que acompanham o corpo desses seres imaginários. Sem uma definição clara de início e fim, essas imagens retratadas por Cristopher Gegembauer extrapolam os limites do suporte, trazendo novamente a comparação com a rede de rizomas.

Algumas de suas obras são produzidas em suportes naturais, como pranchas de madeira, reforçando ainda mais a estética natural que sua obra possui. Extremamente contemporâneo, Cristopher Gegembauer já vendeu suas telas em escala nacional, suas peças ornam perfeitamente com construções modernas e urbanas, cimento queimado, vidros e instalações industriais que busquem, através da arte, uma reaproximação com a natureza.

 

Crítica escrita por Giovana Martucci.

Comentários
    Categorias

    Deixe um comentário

    O seu endereço de e-mail não será publicado.

    Compartilhar no facebook
    Compartilhar no twitter
    Compartilhar no linkedin
    Compartilhar no pinterest